Política

Crime contra taxista motiva Projeto de Lei na Assembleia Legislativa

O projeto foi protocolado na terça-feira (15) e deve entrar em tramitação nos próximos dias


- Marcelo Bertani/AL

Porto Alegre - Na madrugada da última quinta-feira (10), o taxista lajeadense Gilmar Serafini, 59 anos, foi vítima de um latrocínio. Com diversos golpes de faca, Serafini não resistiu aos ferimentos e morreu às margens da BR-386.

O crime gerou grande repercussão no Vale do Taquari e no estado e, diante da comoção e do aumento deste tipo de crime, o deputado estadual Enio Bacci (PDT) apresentou um projeto de lei para tentar ao menos minimizar a insegurança dos motoristas. A iniciativa é criar um Cadastro Estadual de Assaltantes de taxistas e motoristas de aplicativos para facilitar tanto as investigações das autoridades policiais como dar conhecimento à população destes criminosos.

"Seguindo o exemplo de um projeto já aprovado aqui na Assembleia, que criou um cadastro de pedófilos, nós queremos nos mesmos moldes criar um cadastro estadual de assaltantes de taxistas e motoristas de aplicativos. É preciso que se tenha em um local compilado com informações de suma importância que além de se tornarem um ponto de partida para as investigações policiais, se torna um instrumento de monitoramento e alerta para as autoridades e população em geral", ressalta.

Outro fator levantado pelo parlamentar é de que o criminoso que comete este tipo de delito quase sempre é reincidente. "Quem mata uma vez, ainda mais com essa violência como foi no caso do Serafini, sempre que se vir na mesma ocasião vai agir novamente. Esse tipo de criminoso é frequentemente reincidente, se especializa em um tipo de crime. Tem assaltantes de banco, assaltantes de ônibus, e os que assaltam taxistas, eles repetem o mesmo delito por isso a importância de um cadastro. Qualquer medida que combata este tipo de crime precisa ser feita com urgência", justifica o parlamentar.

O texto do projeto prevê que sejam disponibilizados dados pessoais, foto do criminoso, idade, e as circunstâncias e local em que o crime foi praticado. A listagem ficará a cargo da Secretaria Estadual de Segurança.

O projeto foi protocolado na terça-feira (15) na Assembleia Legislativa e deve entrar em tramitação nos próximos dias.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...