Polícia

Apresentado projeto do Centro Integrado de Comando e Controle Regional

Reunião ocorreu no gabinete do prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo


- Rafael Scheeren Grün/Prefeitura de Lajeado/divulgação

Lajeado - Em reunião no gabinete do prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, nesta quinta-feira (7), autoridades de órgãos da área de segurança pública no município e região conheceram o projeto arquitetônico do futuro Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR). A proposta de planta foi apresentada pela Prefeitura, contendo área de 90,4m², sendo 64 m² no térreo e outros mais 26,4 m² em um mezanino. O projeto foi pensado a partir do espaço físico disponível no terreno do 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM) em Lajeado, onde ficará o o CICCR. 

Após avaliar a planta, o grupo formado pelo prefeito, Marcelo Caumo, vice-prefeita, Gláucia Schumacher, por integrantes do Ministério Público, Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro), Seplan e Secretaria de Segurança Pública (Sesp), decidiu por ampliar o projeto com uma planta prevendo área maior para o CICCR. 

O titular da Seplan, Rafael Zanatta, explicou que para aumentar a área do futuro CICCR será necessário fazer intervenções na área já construída do prédio do 22º BPM. Conforme o titular da Sesp, Paulo Locatelli, a ideia inicial do projeto era evitar intervenções no prédio já edificado. "Isso agora mudou. O ideal seria que houvesse mais terreno disponível e para contornar esse problema, decidimos que é melhor intervir no prédio do batalhão para que seja possível aumentar a área do Centro Integrado", salienta Locatelli. Segundo ele, o novo projeto do CICCR será repensado para abrigar o centro integrado na parte térrea e, no segundo piso, o alojamento do 22º BPM. A estimativa é de que a área a ser edificada tenha em torno de 150 m², mas somente com a nova planta se saberá o tamanho preciso. 

O Centro Integrado

Conforme o plano, no CICCR serão monitoradas imagens de câmeras a serem instaladas em 37 municípios do Vale do Taquari, sendo que cada município fica responsável pela compra e instalação dos equipamentos em pontos estratégicos. Locatelli explica que a partir do espelhamento de uma ocorrência municipal no centro integrado, esta ocorrência poderá se tornar regional e, inclusive, estadual, gerando uma resposta rápida e à altura do que estiver acontecendo. O objetivo é fazer uso de tecnologias no combate ao crime organizado. As imagens das câmeras permitirão maior agilidade na constatação do que pode estar ocorrendo e agilizar uma pronta resposta à altura de um determinado crime, além das imagens serem fundamentais para obtenção de provas para futuras condenações de criminosos. 

Segundo o comandante Regional de Polícia Ostensiva (CRPO) do Vale do Taquari, coronel Ricardo Hoffmann, diversos municípios do Vale do Taquari já manifestaram interesse na instalação de câmeras que terão suas imagens espelhadas no CICCR. Ele afirma que o objetivo é fazer uso de programas inteligentes que permitam criar gráficos e estatísticas de crimes praticados em determinados pontos, além de programas de filtros que permitem, com eficácia, analisar em segundos as imagens captadas durante horas de uma determinada câmera. Paralelamente, Hoffmann destaca que uma segunda etapa no uso de tecnologias para melhorar a segurança pública será viabilizar o projeto de cercamento eletrônico de toda região, tendo em vista que o CICCR permitirá o espelhamento das imagens que serão captadas com o projeto do cercamento eletrônico. "São projetos diferentes, mas que interagem e se complementam", explica.

Comentários

VEJA TAMBÉM...