Colunistas

Olá!

Crônica de Nara T. Knaack

Créditos: Nara T. Knaack

Olá a você, que agora lê esta página! Como vai? Tudo bem? Parece que faz muito tempo que não nos encontramos. Mas passamos pelos efeitos da modernidade e, devido à greve dos caminhoneiros, naquela segunda não teve jornal impresso e na outra só foi virtual. Acredito que tudo deva estar bem, embora as asperezas da vida teimem em nos assombrar. Estamos vivendo períodos tumultuados, bem sabemos, isso tudo em nível de Brasil. Mas, deixa estar! Agora tudo será verde e amarelo, o país vai se adequar aos horários da Rússia e nós iremos torcer.

Amigo leitor, não sou contra a Copa do Mundo. Sabemos que não estamos sozinhos neste barco de problemas, outros países também os têm. Penso apenas que o povo só se mostra literalmente brasileiro quando se refere ao esporte. Aí, sim, existe a união, todos vestimos a mesma camisa, levamos a bandeira na mão, no coração, enquanto que em outras situações nos omitimos. E eu me incluo nesta omissão! Então, questiono: Por que aceitamos conviver com tantos desajustes sociais? Com tanta indiferença? Com tantas injustiças? E a gente se acomoda, esquece, cai e se ergue outra vez.

Falando em cair, quantos de nós já tivemos e vivemos certos tropeços nesta existência? No entanto, com força e coragem, nos reerguemos e continuamos a luta. Achávamos que não suportaríamos tais agruras. Contudo, estamos aí, de cabeça erguida e de coração aberto, enfrentando, quem sabe, outros "terremotos" que, com certeza, não deixarão cicatrizes. É só confiar em Deus e nas pessoas!

Caro leitor, o Brasil vai parar. Milhões de brasileiros estarão à frente de seus televisores, vestindo a camisa 12 da Seleção Brasileira. Estamos tendo aulas sobre cultura, política e costumes dos russos. Repórteres estão a postos, dando-nos informações básicas de tudo. O que ficará realmente? Pelo jornalismo global conhecemos um pouco de cada um dos jogadores, bem como de seu comandante, Adenor Leonardo Bacchi - Tite. Quem sabe desta vez eles também consigam reverter a situação, como muitos de nós já fizemos. Mas com uma grande diferença: eles recebem salários exorbitantes e nós... Assim ó, pequenininho!!! Mesmo sendo assim, desejamos boa sorte a cada brasileiro que luta, no seu dia a dia, pela sua sobrevivência; aos jogadores, que façam por merecer o salário e que Tite use sempre a tática do bom senso para vencer.

Paz e bem
Homenageio, hoje, todas as pessoas que deixaram seu comentário ou curtiram minha postagem pelos 18 anos como colaboradora deste diário na minha página do Facebook. Abraço minha cunhada Gládis Fröhlich, que aniversaria dia 23, e meu neto Lucas, dia 24. Felicidades!

Comentários

VEJA TAMBÉM...