Colunistas

?Não é simples, não é fácil,...

...mas convenhamos, é divino viver!? Concordo plenamente. Sabemos que não é nada fácil viver e que às vezes levamos umas rasteiras inesperadas.


...mas convenhamos, é divino viver!" Concordo plenamente. Sabemos que não é nada fácil viver e que às vezes levamos umas rasteiras inesperadas. Mas ainda bem que temos este "mas", pois, quando estamos diante do milagre da vida, da perfeição e do nascimento de um novo ser, esquecemos de imediato das coisas ruins. Santo Deus, como é indescritível este milagre! Tudo isto nos dá, cada vez mais, a certeza da presença de alguém superior e crer neste mistério e em toda Sua bondade, Sua misericórdia, porque Ele, Deus, é vida e amor.

Amigo leitor, me chamam de babona, de vó coruja, mas, na realidade, é maravilhoso contemplar esta nova criaturinha chamada Cecília. Faltam palavras, adjetivos para dizer exatamente qual a sensação de ser mais uma vez avó e desta vez de uma menina! Abençoada seja ela! Que cresça saudável, pois amor, educação e cuidados sabemos que sempre terá.

A mão divina nos surpreende a cada instante, pois a riqueza de detalhes gerados pela mãe natureza é incrível! Aromas, cores, formas, todos, mostrando por si só, como somos pequenos diante da grandeza do Criador. Então, o que falar de nós mesmos e da mais nova integrante da minha família? É impressionante ver aquela vida chegando até nós! Parecia um pacotinho! Em seguida o banho, o primeiro corte das unhas, o choro para nos dizer: "Estou aqui!" Temos que estufar o peito, pois o papel de mãe é nobre! Por nove meses a semente do amor vai se desenvolvendo num mundo só dela, num mundo sem cores, sem claridade, com espaço limitado, mas, com certeza, um mundo de muita benquerença que só a ela pertencia.

Caro leitor, hoje mais uma vez eu canto a vida com tudo que ela me oferece. Eu sinto, na força da minha fé, a presença de Deus nos pequenos detalhes dos espaços que me rodeiam, naquele minúsculo pezinho da minha neta e naquele ser que sabe tantas coisas, mesmo com tão pouco tempo de vida. Eles choram avisando da dor e da fome; procuram a sobrevivência, sugando o leite materno; dormem o sono dos justos quando estão de barriguinha cheia.

Perdão amigo, eu sei que babei, mas sou merecedora deste presente tão especial! "Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi..."

Paz e bem a todos
Homenageio a leitora assídua Julieta Flavia Eggers, pelo carinho a mim dispensado. Abraço os amigos aniversariantes da semana: amanhã, Sandra de Mari; na quarta, Vera Nicaretta de Oliveira; no sábado, meu filho Josias, o papai da Cecília, e no domingo, Marisa Bastos. Parabéns a todos e muitas felicidades!

Comentários

VEJA TAMBÉM...