Colunistas

O psicopata nosso de cada dia

Mas de lá para cá as descobertas das investigações realizadas pela operação Lava-jato não só deixaram isso mais claro, mas também deixam escancarada a quantidade de psicopatas que temos em altos cargos públicos


 "Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo." Abraham Lincoln (1809-1865)

Quem acompanha o debate entre os candidatos presidenciais americanos percebe claramente que eles tentam colar um no outro grandes faltas morais: Hillary seria mentirosa segundo Trump, enquanto que ele seria um abusador não só moral mas também sexual segundo a candidata, ela mesma casada com um também ex-presidente envolvido com sexo e mentiras.

Certamente não são os adjetivos que gostaríamos de ter em um líder, ainda mais alguém que tem um arsenal atômico ao alcance da mão.
Recentemente um livro lançado na Europa pelo alemão Norman Ohler foi traduzido para o inglês e levou o nome de "Blitzed".

O título é uma brilhante associação de palavras entre a expressão guerra-relâmpago (blitzkrieg) que notabilizou a Alemanha nazista e a gíria inglesa para alguém que está sob efeito de drogas: blitzed ou em português bem claro, chapado.

O que Norman defende e muitos historiadores sérios do assunto não negam, é que Hitler e o terceiro Reich agiram sob efeito de drogas especialmente cocaína, heroína, morfina e principalmente metanfetaminas.

Assim vamos juntando líderes drogados com mentirosos e abusadores na história mundial, uma assustadora coleção de psicopatas. Mas e aqui no Brasil?

Lembro de que em 2011, ainda no auge da popularidade de Lula, ter escrito uma crônica em que dissecava suas características antissociais ou psicopáticas do ponto de vista do diagnóstico médico. Na época alguns acharam que eu exagerava...

Mas de lá para cá as descobertas das investigações realizadas pela operação Lava-jato não só deixaram isso mais claro, mas também deixam escancarada a quantidade de psicopatas que temos em altos cargos públicos no Executivo e Legislativo brasileiro. O Judiciário ainda é uma caixa-preta.

Para que possamos enxergar melhor os psicopatas que nos governam vou listar abaixo as características que eles possuem e que servem para se fazer o diagnóstico de Desordem de Personalidade Antissocial.

Lembrando que Personalidade Sociopática ou Desordem de Personalidade Antissocial é um desvio de personalidade cuja característica essencial é um padrão disseminado de desrespeito por, ou uma violação dos direitos de outros, que começa na infância ou início da adolescência e continua na idade adulta. O indivíduo precisa ter pelo menos 18 anos de idade e apresentar uma história de sintomas de desvio de conduta antes dos 15 anos de idade. É diagnosticada pela presença de pelo menos três dos seguintes:
- incapacidade de se adaptar às normas sociais com respeito a comportamentos dentro da lei, conforme indicado pela repetição de atos que são motivos para prisão.
- enganosidade, indicado por mentiras repetidas, uso de pseudônimos ou enganar os outros para fins de lucro pessoal ou prazer.
- impulsividade ou incapacidade de planejar antecipadamente;
- irritabilidade e agressividade, indicado por agressões físicas e brigas repetidas
- desrespeito imprudente pela própria segurança e de outros;
- irresponsabilidade consistente, indicada por falhas repetidas na manutenção de trabalho consistente ou de honrar suas obrigações financeiras;
- falta de remorso, indicada pela indiferença ou o uso de racionalizações ao fato de ter ferido, maltratado ou roubado de outras pessoas;

Daqui para frente cada um pode fazer a sua lista e os resultados podem ser assustadores (Sarney,Collor, Gleisy, Aécio, Lula, Dilma, Cunha, Renan...).

Mas é importante refletir se a morosidade do Judiciário aliada ao pensamento mágico do brasileiro que aceita tantas mentiras e logo esquece o mal feito, não estão na raiz dos psicopatas terem ido tão longe em nosso país.
(escrito originalmente em 10/2016)


Marcos Frank

Comentários

VEJA TAMBÉM...